07 outubro 2006

Perversões americanas

O protagonista do mais recente escândalo norte-americano, o congressista republicano Mark Foley (um alcoólico arrependido, tal como Bush, que foi recentemente acusado de ter trocado mensagens pornográficas com vários menores) revelou agora, através do seu advogado, que foi vítima de abusos sexuais na adelescência. O alegado abusador terá sido um padre católico - coisa que, nos EUA, dá imenso jeito - o que, supostamente, terá levado o ex-jovem Mark a enveredar pela para-pedofilia não assumida. Nós sabemos que a padralhada é responsável por muito do que de mal tem acontecido ao longo dos últimos dois milénios. Mas daí a justificar as perversões actuais de Foley com uns supostos abusos de há quarenta anos parece-me um pouco de mais. Ah, o mais curioso é que, ao que parece, o presidente da Câmara dos Representantes, David Hastert, sabia de tudo desde há dois anos. Ou seja: que Foley assediasse por e-mail uma série de jovens auxiliares era coisa de somenos, desde que não fosse do domínio público. Azar deles: agora já é. A grande ironia de tudo isto é que Foley era, no Congresso, o responsável pelo Comité Parlamentar de Crianças Desaparecidas e Exploradas. Com toda a razão, digo eu: ele é um verdadeiro expert no assunto...

3 comentários:

marta disse...

7 de Outubro já foi há tanto tempo...

txikichin disse...

Pois foi ... há uma ETERNIDADE!!!!

fridericus disse...

Concordo; só que não se trata apenas de perversões americanas, mas universais.